AS CONEXÕES MUSICAIS DO GUITARRISTA BRUNO LARA

25 abril, 2019
Conexões é o décimo sexto disco do guitarrista Bruno Lara. Uma verdadeira jornada para o jovem músico, pós-graduando em Musicoterapia e que acumula prêmios como melhor instrumentista pelo Rio Rock Experience e melhor compositor erudito pela rádio MEC-Nacional.

Um amante incondicional das "stratos", Bruno apresenta 10 composições inéditas com arranjos autorais, sem esconder sua admiração por Frank Zappa e Jeff Beck, inserindo aqui a liberdade nos improvisos que o jazz proporciona de forma tão intensa. Como o próprio músico afirma, é um novo recomeço em sua formação musical, em que enfatiza a improvisação, sua identidade com o instrumento e as pesquisas na área de musicoterapia.

A ideia deste projeto surgiu de um encontro com o som da guitarra de seu vizinho, o também guitarrista Nicholas Martins, que cedeu seu estúdio de gravação para a construção deste trabalho e contribuiu também nos efeitos e texturas. Participam também o baixista Augusto Mattoso, o tecladista Zé Lourenço e o baterista Gabriel Barboza, e conta com as participações especiais dos guitarristas Carlos Café e Rogério Guimarães, do pianista Natan Gomes, do baixista João Gravina e do baterista Gustavo Perez.

O tema título é uma justificativa para a improvisação mais livre, aqui fluiu de forma bem intensa e, como todo tema em ré dórico, permite viagens de diversas formas e Bruno não deixou de expor sua influência por Hendrix e pelo rock progressivo, dando a liberdade do jazz na forma como conduziu o tema; "Hipnose", também gravada ao vivo, é inspirada no tema Black Napkins do Frank Zappa e traz outra grande influência sua - Jeff Beck e seu disco Blow by Blow, aqui fortemente com um clima de blues psicodélico e um toque singular no piano elétrico de Natan Gomes; "Ojik" é um rock progressivo em compasso alternado, 7/8, gravado em multi-track fazendo uso de violões, quebrando um pouco a atmosfera ao vivo e dando um ar mais acústico na sequência do trabalho;
"Abequar (O homem que voa)" traz no título uma palavra em tupi-guarani e foi inspirada por dois guitarristas - Stanley Jordan e Joe Satriani, principalmente pelo uso do tapping, e coloca no repertório uma roupagem mais abrasileirada; "A cura" traz novamente o rock progressivo em foco, aqui com influência de Steve Hacket e também em compasso alternado, 5/8, que, curiosamente, propõem o conceito de math-rock, uma denominação surgida nos anos 80 baseada em rítmicas irregulares;
"Snoopy" faz homenagem ao seu saudoso cão beagle e traz uma atmosfera de country music com pitadas de rock'n'roll, tocada sem palheta usando técnica double-stop com intervalos próximos;
"Ogaiami" tem influência em uma escala japonesa denominada Hirajōshi, de sonoridade bastante particular, e é uma faixa bem experimental, a la Robert Fripp, gravada com violão com a corda sol afinada 1 tom acima;
"Parque da Ruinas" homenageia o local homônimo na cidade do Rio de Janeiro, um tema smooth que traz uma melodia que se repete em alguns trechos, uma abordagem proposta por Hermeto Pascoal de se trabalhar com fragmentos de uma frase que se repete e se modula ao longo do tempo porém com o mesmo motivo rítmico e melódico; "Taurinamente" é uma influência do filme Birdland, protagonizado pelo baterista Antonio Sanchez que faz do instrumento o guia de todo o filme, aqui com uma introdução percussiva e Bruno usando a melodia em chord-melody fazendo citação a Little Wing (Hendrix);
fechando o disco o tema "Conexões Jazz Out Version", uma releitura da faixa título dedicada a 3 guitarristas brazucas - Nelson Faria, Aloysio Neves e Fred Andrade, com a guitarra com som clean, caloroso, caminhando em uma linguagem mais jazzística e focada na improvisação.


"Conexões" foi gravado entre dezembro de 2017 e agosto de 2018, tem direção e produção musical de Bruno Lara, mixagem e masterização por Nicholas Martins. Arte e fotografia de Nelsinho Faria.
O disco está disponível em CD físico, vinil e você também pode ouvi-lo na plataforma Spotify.

www.brunolara.mus.br/conexoes