STANDARDS?

26 junho, 2017
Os guitarristas Rodrigo Chenta e Ivan Barasnevicius apresentam o EP Standards? interpretando dois temas clássicos em leituras bastante interessantes.
O primeiro tema é "Cantaloupe Island", original de Herbie Hancock cuja linha base aqui se mescla com o rock "Enter sandman" do Metallica em uma fusão bem curiosa, comprovando que as fronteiras de criação são ilimitadas e a importância das citações como um propulsor de novas ideias.
O segundo tema é "Saga of Harrison Crabfeathers", original do pianista Steve Kuhn cujo tema foi gravado inicialmente pela cantora sueca Monica Zetterlund; um espetacular resgate do Real Book desenhado com improvisos calorosos em uma interpretação bem intensa.

Rodrigo Chenta está no canal esquerdo e Ivan Barasnevicius está no canal direito, ambos usando guitarra acústica.

Um bate-papo rápido em que cada um nos conta sobre os temas -

Qual foi o insight para promover o encontro de Hancock com Metallica no tema Cantaloupe Sandman?
Rodrigo Chenta: Isso aconteceu quando estávamos de férias com as famílias na Serra do Cafezal em São Paulo. Certa tarde o Ivan e eu tocamos alguns standards de jazz até que resolvi inserir a música “Wasting love” do Iron Maiden em “Autumm leaves” do Joseph Kosma. Daí para colocar “Enter sandman” do Metallica  em “Cantaloupe island” de Herbie Hancock foi um pulo. Achamos muito engraçado e divertido até que a brincadeira ficou séria e a inserimos em nosso repertório dos concertos. Na gravação do EP “Standards?” tocamos essa música de uma maneira nada standard e gostamos do resultado. Em relação ao Metallica, existem na minha guitarra citações de músicas como “Orion”, “Enter sandman”, “Welcome home (Sanitarium)” e “Fade to Black”, que eu me lembre. No solo improvisado do Ivan eu fiquei na cola dele e os motivos musicais que sugeria eram automaticamente abordados no acompanhamento onde a interação deixou a sonoridade mais orgânica. Ela tem grande importância no duo. Vale lembrar que o realizado nesta música especificamente é algo comum na história do Jazz. Isso aconteceu, por exemplo, em “Donna Lee”, música de Miles Davis que é creditada a Charlie Parker. Aqui ele basicamente se inspirou no acompanhamento da música “Back home again in Indiana” de James F. Hanley e improvisou uma nova melodia.

Rodrigo Chenta e Ivan Barasnevicius
Um resgate de um clássico tema do pianista Steve Kuhn - "Saga of Harrison Crabfeathers".
Ivan Barasnevicius: Já tocava essa música em jam sessions há tempos. Como ela tem uma estrutura que privilegia bastante a improvisação nos moldes que costumamos realizar no duo, pensei em sugerir para o Rodrigo e desde muito cedo gostamos bastante do resultado. Vale lembrar que a nossa abordagem com relação a ela foi mudando ao longo do tempo, e novas ideias de improvisação e acompanhamento foram surgindo. Algumas foram abandonadas e outras foram desenvolvidas. Mas, comentando sobre a composição em si e do meu interesse nela, posso ressaltar que, em minha opinião, ela traz alguns aspectos que são bastante relevantes: uma melodia bastante simples, porém marcante e muito bem estruturada, com uma série de transposições do motivo principal. Ela tanto traz a possibilidade para que novos acordes possam ser inseridos entre os principais já indicados nas transcrições mais utilizadas (como a presente no “livrão”) como também torna viável a redução da harmonia de um bloco inteiro em somente um acorde. Nos dois casos, é possível fazer tudo isso sem desrespeitar o modo do momento. Mas é importante lembrar que em certos momentos não respeitamos. Nesta gravação, experimentamos de forma bem solta diversos outros aspectos: diferentes dinâmicas, alterações propositais de andamento e na textura dos acompanhamentos. Vale dizer que procuramos também, durante a gravação, fazer diferentes citações: enquanto o Rodrigo citava o Metallica, eu fiz citações do Herbie Hancock. Em todos os nossos trabalhos existem diversas citações harmônicas e melódicas escondidas.

Obrigado Rodrigo e Ivan, e sucesso.


www.rodrigochentaeivanbarasneviciusduo.com

Leia também sobre outros trabalhos do duo -

Antítese Novos Caminhos