CELEBRANDO ELVIN JONES

21 outubro, 2016
Um dos grandes bateristas do jazz, Elvin Jones é unanimidade, o motor do fantástico e eterno quarteto liderado por John Coltrane.
Para o baterista Will Calhoun, que o ouviu pela primeira vez no Village Vanguard quando tinha 14 anos, essa referência é marcante em sua música e afirma categoricamente - "Qualquer pessoa que ouça jazz pode ouvir um pouco de Elvin Jones em tudo que eu faço."
Calhoun reforça ainda que Elvin Jones tem todos os elementos que vai além do jazz - o rock, o fusion, a música africana e latina, o elétrico e o acústico.
A ideia de realizar um tributo ao mestre é um projeto que ele pretendia realizar há tempos, mas não sabia como; até que a gravadora Motema abraçou a iniciativa e tornou isso realidade.
Celebrating Elvin Jones é o resultado desse trabalho, em que Calhoun tem ao seu lado o contrabaixista Christian McBride, o saxofonista Antoine Roney, o pianista Carlos McKinney, o trompetista Keyon Harrold, o pianista Jan Hammer e o percussionista senegalês Doudou N’Diaye Rose. Com exceção de McBride, todos tiveram o privilégio de tocar junto com Jones.

No repertório, composições de várias fases de Elvin Jones - "Harmonique", gravada por Coltrane (1961, Coltrane Jazz); "Mahjong", por Shorter (Juju, 1965); e registros como líder em "Whew", original do contrabaixista Wilbur Little (Poly-Currents, 1969); "Destiny" (1975, On The Mountain); "Shinjitsu", tema de sua esposa Keiko (Jazz Machine Live At Pit Inn, 1985); "Doll of the Bridge" (1992, In Europe) e "E.J.Blues" (1999, The Truth: Heard Live).

http://www.willcalhoun.com/