OS SONS DA ÁFRICA E O BLUES SOMADOS POR ADRIANO GRINEBERG

25 agosto, 2014
Uma característica muito marcante na arte musical africana é a expressão vocal, os vocalizes, o que representa uma identidade muito forte, e que, na verdade, são músicas corais feitas para várias vozes.

Blues for Africa é uma homenagem a Africa, de norte a sul, uma leitura sobre essa forte musicalidade, a língua e seus dialetos, tão característica e tão original. Em suas viagens pelo continente, o pianista Adriano Grineberg explorou essas nuances e fez uma adaptação de forma rítmica, percebendo que muito da música que se faz por lá tem influência e origem em New Orleans, na origem no Blues, nos Spirituals e na música Gospel.

Adriano Grineberg

A África tem várias e fortes referências musicais, entre elas - Ali Farka Touré, que mescla a música do Mali com o Blues; Bombino, que faz um Blues muito de raiz; e Soweto, que serviu de inspiração para Paul Simon no trabalho Graceland, quando deu visibilidade aos músicos dos guetos.
Blues for Africa nos dá mais uma dimensão neste universo, em que Grineberg colocou a sonoridade do contrabaixo acústico para dar uma atmosfera muito particular.
O álbum abre com "Iko Iko", um tema originado de New Orleans com forte raiz africana, cujo refrão original é cantado parte em creole e parte em lingua indígena.
Gribenerg também traz material da Nigéria, presentes nos temas “Chimo” e “Ekenemu Uwa”, com a participação do compositor nigeriano Rex Thomas, em uma forte parceira em que Thomas compõem em sua lingua nativa, Igbo, e Grineberg soma com a melodia.
Interpreta tradicionais hinos gospel zulu, como "Jikelele", "Akeko", "Kumbaya" e "Syahamba", da primeira metade do século passado; e apresenta a música do norte da Africa em "Toareg Blues", uma homenagem ao povo Tuaregue, muito influentes e presentes de cultura árabe e islâmica, em cuja música o negro entoa o canto de uma forma muito particular, uma evocação. Uma referência ao Sufismo, a divisão mais espiritualizada do Islamismo, cujo povo está ou no Paquistão e Egito ou no Mali, nos extremos, e tem a dança, a música e a arte como forma de atingir a elevação espiritual.
Ainda revisitou Bob Marley em "3 Little Words", com a participação da harmônica de Vasco Faé.

Blues for Africa é uma música universal, que não se define como um trabalho especificamente de Blues, mas que se utiliza desta linguagem como forma de expressão.
A produção do album é de Adriano Grineberg, que faz as vozes, piano, hammond e escaleta, e tem ao lado a guitarra e os violões de Edu Gomes, o contrabaixo de Rodrigo Jofre e a bateria de seu irmão Sandro Grineberg; e ainda convidados muito especiais na voz de Graça Cunha, no contrabaixo de Fábio Sá, na bateria de Daniel Lanchinho e ma percussão de Michelle Abu.


adrianogrineberg.com.br/