MORRE HORACE SILVER AOS 85 ANOS

19 junho, 2014
fonte : Peter Keepnews, NY Times

O pianista Horace Silver, um dos mais influentes dos anos 50 e 60 e um dos protagonistas do movimento Hard Bop, morreu nesta quarta-feira, 18 de junho, aos 85 anos em sua casa em New Rochelle, NY.

Horace Silver começou liderando seu próprio grupo em meados de 1950, e rapidamente ganhou evidência por suas composições e pelo seu toque bluesy. Silver era um pianista que enfatizava a simplicidade melódica sobre harmonias complexas, e tinha em seu improviso uma sofisticação ímpar.

Horace Ward Martin Tavares Silver nasceu em 2 de setembro de 1928 em Norwalk, Connecticut.  Embora tenha iniciado o estudo do piano ainda criança, começou sua carreira profissional como saxofonista, retornando ao piano e sendo descoberto por Stan Getz, para quem trabalhou nos anos 50.
Assim ele descreve - “Eu tocava em um bar em Hartford e um dia Stan Getz chegou para tocar com meu grupo e disse que iria nos chamar para tocar com ele, mas eu não levei muito a sério. Algumas semanas depois ele me ligou e convidou o meu trio para se juntar a ele.”
Silver mudou-se para NY em 1951 e logo foi convidado para tocar com outros gigantes como Coleman Hawkins e Lester Young. Em 1953, formou com o baterista Art Blakey os Jazz Messengers, definindo o que viria se transformar no Hard Bop. Após dois anos, assinou com a gravadora Blue Note e deixou o grupo na liderança de Blakey, formando seu próprio quinteto, que tinha os sopros de Blue Mitchel e Junior Cook.
Assim como Blakey e Miles, Horace Silver tinha o dom de descobrir novos talentos, como os saxofonistas Hank Mobley, Joe Henderson e Michael Brecker, os trompetistas Art Farmer, Woody Shaw, Tom Harrell e Dave Douglas, e os baterista Louis Hayes e Billy Cobham.

Em 2005, Horace Silver recebeu da National Academy of Recording Arts and Sciences (NARAS) o título de President’s Merit Award (NARAS é uma organização de músicos, produtores e engenheiros de gravação dedicada a melhorar a qualidade de vida e condição cultural para a música)
Teve sua autobiografia registrada em "Let's Get to the Nitty Gritty: The Autobiography of Horace Silver", lançada pela University California Press.

Horace Silver gravou álbuns célebres como "Tokyo Blues" e "Song for my Father", meus preferidos, entre outros de sua extensa discografia.
A histórica foto de Art Kane - "Um grande dia no Harlem" - perde mais um grande músico.

"Sou um abençoado por estar ao lado e tocar com muitos dos grandes gênios desta música que apaixonadamente chamamos de Jazz. Espero que eu possa inspirar muitos dos jovens de hoje como esses músicos me inspiraram." - Horace Silver : 1928-2014