NO ESPÍRITO DE GREGORY PORTER

20 fevereiro, 2014
Gregory Porter
A estrada está só começando para Gregory Porter. Já recebeu duas nomeações para o Grammy - melhor álbum de Jazz vocal por Water (2010), e melhor performance de R&B com o tema "Real Good Hands" do álbum "Be Good" (2012), ambos lançados pela Motema; e foi finalmente premiado na edição de 2013 com Liquid Spirit, sua estréia pela gravadora Blue Note, eleito como melhor álbum de Jazz vocal, concorrendo com talentos como Andy Bey, a também emergente Cecile McLoren Salvant e Tierney Sutton, além de ainda ter sido novamente nomeado por melhor performance de R&B com o tema "Hey Laura".

Muito merecido, afinal Gregory Porter é uma das vozes de maior expressão na atualidade, não por menos ganhou destaque na capa da edição da Downbeat em outubro passado.

Em Liquid Spirit, Porter está acompanhado pelo mesmo quinteto do álbum "Be Good", com os sopros de Yosuke Sato e Tivon Pennicott, o piano de Chip Crawford, o contrabaixo de Aaron James e a bateria de Emanuel Harold, além das participações especiais do trompetista Curtis Taylor e do organista Glenn Patscha.
É justamente essa inspiração no jazz, R&B e soul que faz Porter ser um cantor tão popular, somada a sua bela e potente intensidade vocal e uma sensibilidade que pouco se ouve nos cantores nestes últimos tempos.



Leia também -

O Soul e o Jazz na voz de Gregory Porter