TEM BRANQUELO NO FUNK

07 janeiro, 2014
Prostituíram o nome, mas aqui Funk é coisa séria !
A verdade é que o bom, velho e verdadeiro estilo não deixa ninguém ficar parado. O ritmo que tem na origem a voz e o super grupo de James Brown é eterno, e ganhou espaço numa época de transição entre os anos 60 e 70 em meio a tanta psicodelia do mundo do Rock. É o balanço caracterizado pela marcação rítmica da guitarra, pelos ataques dos metais, pelas interjeições vocais, e o resultado é contagiante.
Uma onda que se espalhou pelo mundo, a Black Music, e ainda hoje cultua uma adoração muito forte.

Nils Landgren

Um dos representantes do estilo é branquelo, é trombonista e nasceu na Suécia - Nils Landgren.
Sua Funk Unit já tem estrada e uma ampla discografia desde a criação do grupo em 1992, quando ganhou destaque dois anos depois no Jazzbaltica Festival, e que rendeu um registro ao vivo no album Live In Stockholm (ACT, 1995), que teve como convidado ninguém menos que Maceo Parker.
Ainda fizeram outro registro ao vivo no festival de Montreux em 2008 e já somam 6 albuns de estúdio - Paint It Blue (1996); 5000 Miles (1999); Fonk Da World (2001); Funk ABBA (2004), um tributo Funk ao grupo pop sueco; License to Funk (2007); Funk for Life (2009); e o recente Teamwork (2013).
Todos lançados pela gravadora ACT.

Além de composições próprias, o grupo revive em seus albuns a magia de Fred Wesley (House Party), os irmãos Adderley - Cannonball e Nat (Inside Straight, Primitivo e Walk Tall), Joe Zawinul (Mercy, Mercy, Mercy) e até Doors (Riders on the Storm), sempre com muito balanço.

A formação da Funk Unit traz, além do líder, Magnum Coltrane Price no baixo, Magnus Lindgren e Jonas Wall nos sopros, Sebastian Studnitzky no trompete e teclados, Andy Pfeiler na guitarra e Robert Mehmet Ikiz na bateria; e no recente album Teamwork, Landgren contou com as participações de Joe Sample no piano rhodes, Wilton Felder no sax e Till Brönner no trompete.
Teamwork está nomeado para o prêmio Grammis, algo como o Grammy americano, só que exclusivo para o cenário musical sueco, evento ocorre no mês de fevereiro. Landren recebeu o prêmio honorário em 2012.

O grupo é sensação na Europa e já recebeu o título de melhor grupo Funk do continente. E mérito para o líder, que é um extraordinário músico e tem excelentes trabalhos na linha do Jazz com seu sopro e sua voz cool, fora do padrão tradicional, dando a ele a referência de ser o "Chet Baker do trombone".

Nils Landgren começou tocando bateria aos 6 anos e aos 13 descobriu o trombone. No início estudou música clássica, mas partiu partiu para o estudo da improvisação e encontrou seu próprio estilo de tocar.
Artista exclusivo da fabricante Yamaha, é endorsee da marca e seu instrumento é um "dualbone trombone" assinado para ele, na cor vermelha, o que lhe dá o título de "Red Horn".
Para Landgren, a Música não conhece fronteiras, Música é liberdade.

Mais sobre Nils Landgren em  www.nilslandgren.com

Assista Get Serious Get A Job, performance no Alfa Jazz Fest 2013, Ucrania -

Teamwork