AVALANCHE CRIATIVA

06 novembro, 2013

A proposta de colocar elementos da música brasileira junto à criatividade do Jazz e a energia do Rock é desafiadora, mas é real e está registrada no trabalho da pianista Marilia Giller.
Avalanche: Jazz Friction é o nome do album que retrata esse universo. Como afirma o musicólogo Acácio Piedade no encarte do album, a idéia dessa fusão, denominada como "jazzfriction", implica um hibridismo, que não se mistura e provoca uma fricção musical.

Uma avalanche musical, criativa e recheada de idéias originais distribuídas nas 12 composições do album.


Na seção rítimica, Marilia apresenta seus filhos Allan Giller Branco no baixo e Ian Giller Branco na bateria, e como ela mesmo afirma de forma divertida - "Criei minha própria cozinha". E os garotos não deixam espaço vazio, e tiveram a companhia das guitarras de Scott Henderson, Mario Conde, Ruan de Castro, Sergio Sofiatti, Gustavo Arthury e Emerson Antoniacomi.

Admiradora confessa da combinação do jazz e do rock, muito influenciada por Joe Zawinul e o grupo Weather Report, Marilia não economiza no uso dos teclados e sintetizadores em suas composições, alternando com o piano acústico. Uma sonoridade que mergulha no melhor universo do Jazz-Rock e que nos permite uma viagem pela escola do estilo.
Na abertura do album, o tema "Teoria da Situação" mostra viva a energia fusion transformada em uma roupagem de frevo com Scott Henderson protagonizando a guitarra em diálogo com os teclados de Marilia. Scott ainda coloca sua assinatura em "Horizonte Interno", com destaque para o baixo de Allan; e no tema título, que abre nas baquetas de Ian e com Scott largando a mão em um improviso contagiante. Pura "Avalanche", cujo tema foi introduzido pela curta e introspectiva viagem solo de Marilia em "Le Rayon Vert".
Allan também toma a frente no tema "Superagui", composição sua e de seu irmão Ian, em que desenvolve a linha de baixo e o improviso, e ganha reforço do drive da guitarra de Ruan de Castro. Allan também se destaca nos temas "July in Ritiba", novamente com um belo improviso e com um walking dando uma roupagem tradicional, e no tema "Eu Kiss", com o guitarrista Sergio Sofiatti e seu toque abafado e desenhado por oitavas, no melhor estilo.
O balanço brasileiro está presente em "Mandinga", ilustrado pela percussão de Marco Lobo, pela sonoridade acústica da guitarra de Mario Conde e, aqui, Marilia no piano acústico.
"Tempo" se apresenta com arranjo do mestre Nelson Ayres, e Marilia desenha a melodia nos teclados e piano e desenvolve o tema em duo com Allan. E o piano de Marilia também protagoniza o tema "Ritual Hermético", numa fusão cheia de balanço e novamente a guitarra de Mario Conde, com um belo improviso, e a percussão de Marco Lobo. "Instantaneous Minds" registra em memória o produtor e guitarrista Emerson Antoniacomi, que faleceu no período da gravação do album, vítima de um AVC.
O tema "Nascente" fecha o album com a guitarra de Gustavo Arthury.


É o jazz-rock brasileiro se mostrando muito vivo. Um disco com um belo encarte e texto do jornalista musical Roberto Muggiatti. Discão.

Marilia Giller é paranaense, residiu em Montreux nos anos 90 onde estudou Piano Jazz e, além da formação em Música, também é artista plástica. Como pesquisadora, realizou sua dissertação de Mestrado sobre história do Jazz no Paraná entre as décadas de 1920 e 1940.