BUDDY GUY EM DOSE DUPLA

01 agosto, 2013
Buddy Guy Rhythm & Blues
Um lado é Rhythm, o outro é Blues.
Buddy Guy volta ao estúdio com Rhythm & Blues.

É como uma edição comemorativa pelos seus 77 anos de vida e meio século fazendo Blues, mas quem ganha o presente somos nós.
Um album duplo com 21 temas e vários convidados como Beth Hart, Gary Clark Jr, Steven Tyler, Kid Rock, Keith Urban,  Joe Perry e Brad Whitford.
Um colorido especial neste trabalho.
O álbum tem a produção do baterista Tom Hambridge, que também produziu Living Proof (2010) e conquistou o Grammy de melhor álbum de Blues contemporâneo.

Buddy Guy não economizou neste trabalho, colocou energia em uma intensa sessão em que resolveu abrir a guitarra do jeitão que a gente gosta, soando até meio "vintage" em alguns momentos.

A banda base que o acompanha no album é formada por Reese Wynans e Kevin McKendree piano e hammond, Michael Rodhes e Tommy MacDonald baixo, David Grisson guitarra base e Tom Hambridge bateria, além da seção de sopros formada pela Muscle Schoals Horns com Harvey Thompson tenor, Steve Herman trompete, Jim Horn barítono e Charles Rose trombone.



Em entrevista para o site biography.com, Buddy Guy revelou que quando nasceu os únicos sons que ouvia eram o som da natureza na fazenda de sua família e o canto gospel das igrejas locais.
Como não tinha dinheiro para comprar um instrumento, construiu o seu próprio usando um pedaço de madeira, uma lata e fios de arame de uma tela de janela que sua mãe tinha comprado para espantar os mosquitos.
Mudou-se para Chicago em 1957 e fez seu nome no cenário Blues local. Sua grande oportunidade veio
quando foi chamado para tocar com Otis Rush no famoso 708 Club, local que mais tarde se encontraria com Muddy Waters e B.B King.
Uma lenda viva. Quando questionado sobre seu legado, Buddy Guy disse que está vivendo e fazendo o que ele faz de melhor - tocando Blues.

As 5 décadas de boa música deram recentemente a Buddy Guy os prêmios pela Kennedy Center Honors, em reconhecimento àqueles que contribuiram significativamente para a cultura americana; e o NARM Chairman’s Award, por sua realização criativa ao longo de todos esses anos.

Buddy Guy