ORRIN EVANS CONTAGIANTE EM FLIP THE SCRIPT

21 janeiro, 2013
Como afirmou Bruce Lindsay, crítico do All About Jazz, um trio de piano contemporâneo nas mãos erradas pode soar como recauchutado; já nas mãos certas é uma força muito poderosa, emocionante, envolvente, cheia de imaginação e capaz de vôos de invenção.
Assim é o trio do pianista Orrin Evans no álbum Flip the Script (2012, Posi-tone Rec), em que está acompanhado pelo contrabaixo de Ben Wolfe e a bateria de Donald Edwards.

Orrin Evans
Orrin Evans nasceu em Trenton, New Jersey, e cresceu na Philadelphia, local de grande importante na sua formação musical pois deu-lhe a oportunidade de estudar com grandes nomes do piano.
Aceito no programa Mason Gross School of The Arts na Rutgers University, teve como mestres Kenny Barron e Joanne Brackeen e recebeu a importância dos fundamentos do Jazz assim como a necessidade de ouvir e viver a música.
Após sua mudança para New York em 1996, juntou-se ao espetacular grupo do saxofonista Bobby Watson, Horizon, e foi a oportunidade de estar inserido no forte cenário jazzístico local.  Realizou trabalhos com nomes do primeiro time do jazz contemporâneo como Wallace Roney, Pharoah Sanders, Mingus Big Band, Roy Hargrove, Nicolas Payton, Brandford Marsalis, Gary Bartz, Eddie Henderson, Sean Jones, Tim Warfield, Ravi Coltrane, Robin Eubanks, Dave Douglas, entre outros.

Com uma ampla discografia como líder, já é reconhecido como um dos pianistas mais empolgantes desta geração. Evans afima que sempre evitou as gravações em trio, nunca quis soar comum, o que podia acabar se tornando um tanto chato. Sempre ouviu muito o trio de Keith Jarrett e começou a prestar atenção em Jaki Byard, Hancock e McCoy Tyner, percebendo como eles soavam diferentes.

Em Flip the Script a fórmula é quase diabólica, o couro realmente come nos 9 temas do album. E é um trio como gostamos de ver, com muita empolgação, como nos temas Flip the Script, Clean House, TC´s Blues, The Answer e na recriação cheia de swing do clássico tema de Luther Vandross Brand New Day, em que Evans mostra sua influência no R&B em um tema que ilustrou o premiado musical da Broadway em 1975, The Wiz: The Super Soul Musical Wonderful Wizard of Oz [ veja aqui ].
Ainda tem espaço para as baladas When e Someday My Prince Will Come, em uma belíssima versão, o slow blues Big Small e a espetacular The Sound of Philadelphia em piano solo .
Um discão.