SPECTRUM ROAD RESGATA O BOM E VELHO FUSION

15 outubro, 2012
É inegável a importância do baterista Tony Willians na transformação musical que ocorreu a partir da segunda metade dos anos 60, quando o segundo quinteto de Miles Davis, do qual Tony liderava as baquetas, apontava para a música livre e caminhava de encontro com o Rock.
Tony Willians foi um dos precursores do fusion baseado no Jazz Rock, e teve a líderança do grupo Lifetime, inicialmente um organ trio formado com McLaughlin e Larry Young, criado em 1969.
Um baterista com assinatura própria e uma escola para as gerações seguintes.

Spectrum Road é a homenagem definitiva a Tony Willians, talvez a maior celebração a esse grande músico desde sua morte em 1997, causada por problemas cardíacos após uma cirurgia de rotina de vesícula. Outro grande tributo foi o álbum Saudades (2006, ECM), em que Jack DeJohnette, John Scofield e Larry Goldings também prestam homenagem ao baterista.

Spectrum Road é formado pela guitarra de Vernon Reid, os teclados de John Medeski, o baixo de Jack Bruce e a bateria de Cindy Blackman Santana. Precisa dizer mais?!
Uma reunião de grandes ícones cujas influências carregam muito do rock, do blues e do instrumental contemporâneo.
E essa história vem de longe, desde que Jack Bruce, que tornou-se muito amigo de Tony, ingressou o Lifetime em 1970 assumindo o baixo e vocal no segundo álbum do grupo, Turn It Over. Bruce tinha Larry Young como um gênio, um mágico dos sons, e recorda quando ele tocou em sua cidade natal, Glasgow, levando o público ao êxtase - ele o considerava como o "Coltrane do Hammond".
A baterista Cindy Blackman lembra a primeira vez que ouviu Tony Willians, aos 15 anos, e ficou enlouquecida; o álbum em questão era Four & More do Miles, e quando soube que nesta gravação Tony tinha apenas 18 anos, não acreditou. Quando enfim ouviu a Lifetime, sabia ter encontrado ali seu estilo favorito e, para ela, Tony era uma obra de ficção científica.
Já o guitarrista Vernon Reid via algo de underground na música da Lifetime, e afirma que Tony nunca fez concessões a música comercial, queria fazer a música do seu jeito e por isso tornou-se único.
Medeski considera a Lifetime uma parte da história do Jazz, assim como seus integrantes; e lamenta que o grupo tenha sido tão pouco reconhecido pela importância que teve ao mudar a cara do Jazz e do Rock. E diz que a força que levou a criação do Spectrum Road foi trazer de volta a atenção a isso.

Spectrum Road foi gravado em quatro dias, em fevereiro de 2011, quando o quarteto encontrou-se livre das obrigações em seus respectivos trabalhos. São 10 temas em que 8 deles são composições gravadas por Tony Willians. O álbum traz uma sonoridade mais contemporânea, mesmo com as características tão distintas de Medeski e Vernon Reid em relação a Larry Young e McLaughlin, mas o resgate a forma fusion daquele tempo ficou muito evidente.