CONEXÃO TEL AVIV-MANHATTAN: GILAD HEKSELMAN

11 outubro, 2012
Gilad Hekselman
Desde que chegou em New York, em 2004, o guitarrista israelense Gilad Hekselman tornou-se um dos mais requisitados músicos da cena local, dividindo o palco com Chris Potter, Mark Turner, John Scofield, Anat Cohen, Ari Hoenig, Sam Yahel, Jeff Ballard, Jeff Watts, Tigran Hamasyan, Aaron Parks, Greg Hutchinson, entre outros.

Gilad nasceu em Israel em 1983. Aos 6 anos iniciou o estudo de piano clássico, e aos nove abraçou a guitarra. Adolescente, já estava nos palcos com uma banda própria apresentando-se em um programa de TV para o público infantil. Foi estudar na prestigiosa Thelma Yellin School of Arts e graduou-se com excelência na especialidade jazz aos 18 anos, o que o fez receber um convite da América-Israel Cultural Foundation Scholarship para estudantes estrangeiros em New York, onde se formou em Bachelor of Fine Arts em 2008.

Com seu primeiro disco, Split Life (2005, Smalls Records), acompanhado pelo contrabaixista Joe Martin e o baterista Ari Hoenig, o reconhecimento veio e rendeu-lhe o prêmio do Gibson Montreux International Guitar Competition. Gravou mais dois discos, Words Unspoken (2008, Late Set Records), acompanhado novamente pelo contrabaixista Joe Martin, o baterista Marcus Gilmore e o sax tenor de Joel Frahm; e Hearts Wide Open (2011, Harmonica Mundi) com o mesmo trio mais o sax tenor de Mark Turner, trabalho este que Gilad define como "seu melhor trabalho".

Gilad HekselmanA química musical entre Gilad e Hoenig foi intensa desde o encontro que deu-se por um amigo em comum, o contrabaixista Chris Tordini, com quem Gilad teve algumas aulas. A partir daí ambos começaram a se convidar para tocar em seus respectivos grupos. Gilad também está presente nos albuns Bert´s Playgroud (2008, Dreyfus)Lines od Oppression (2011, Naive) de Hoenig.

Ben Ratliff, crítico do New York Times, não economiza elogios ao músico -
"A atmosfera de qualquer palco de jazz ganha intensidade quando Gilad desenvolve seus improvisos; carrega com ele a linha de Metheny e Rosenwinkel, com um tom de guitarra puro e envolvente, clara articulação, loucamente estendendo ideias de improvisação, rapidez quando precisa, um avançado conhecimento de harmonia e flexibilidade para ir onde o grupo quiser".
Gilad reafirma essas influências, cita Metheny pelo trabalho que fez e ainda faz, e concorda que muitos dos guitarristas de jazz moderno são influenciados por ele, direta ou indiretamente; e coloca Kurt Rosenwinkel como sua principal referência, afirmando que é um dos melhores guitarristas da atualidade.

www.giladhekselman.com/