JAIMOE JASSSZ BAND

09 agosto, 2012
Jaimoe
Jai Johanny Johanson é mais conhecido como Jaimoe.
Nasceu em Ocean Springs, Mississipi, em 1944.
Adolescente, se encantava com a big band de Duke Ellington e os improvisos de Johnny Hodges e Paul Gonsalves.
Nos anos 60 esteve ao lado de grandes nome do rhythm & blues como Otis Redding e Percy Sledge e ao final desta década tornou-se um dos membros e fundadores de uma das maiores bandas de todos os tempos, o Allman Brothers Band.
E foi justamente o Allman Brothers que mudou sua maneira de ver a música. Para ele, não se concebia a idéia de "caras brancos" fazerem aquele tipo de som, na época junto com Greg Allman, Dickey Betts e Berry Oakley.
E isso encantou Jaimoe, aquela fusão de blues, jazz e rock; e justamente com o Allman Brothers fez um dos mais espetaculares registros ao vivo da história do rock, o album gravado no saudoso Filmore East, local que, hoje, Jaimoe o compara com o Beacon Theater em New York.

Atualmente Jaimoe lidera sua Jaimoe Jassz Band, e lançou no final de 2011 o album Renaissance Man (Lil'Johnieboy Records), premiado com o Grammy Award for Lifetime Achievement, uma das principais categorias do Grammy, prêmio que reconhece a obra de um artista.
Renaissance Man é seu primeiro album de estúdio e um time da pesada acompanha Jaimoe neste trabalho - Junior Mack nos vocais, slide e dobro, Paul Lieberman nos sax tenor, alto e flauta, Kris Jensen nos sax tenor, barítono e soprano, Reggie Pittman trompete e flugelhorn, Dave Stolz baixo e Bruce Katz hammond e piano.
E essa formula não tem erro, o resultado é uma fusão do bom e velho classic rock, southern rock, blues e boas pinceladas de jazz com uma energia vibrante.

E Jaimoe tem uma relação muito estreita com o jazz e isso se comprova nos seus albuns ao vivo Live at the Double Down Grill (2006) e Ed Blackwell Memorial Concert (2008), onde interpreta standards como Softly as in a Morning Sunrise, Impressions, Footprints e Night in Tunisia em versões bem intensas.
Em sua entrevista para o site All About Jazz, afirma : "Jazz é música americana, então se um músico toca algo que tem origem aqui, é jazz. Pode ser originada na Alemanha, Suecia, Japão ou em qualquer outro lugar, isso é parte de nós e isso foi desenvolvido aqui. É assim, é música improvisada, é jazz".

Renaissance Man
E não poupa elogios a Junior Mack, a quem se refere como um grande músico que toca muita guitarra, canta, compõem e ainda é empresário, foi um especialista em computação por muito tempo trabalhando em um grande empresa e após seu desligamento concentrou-se exclusivamente na música.

Renaissance Man é um disco completo. E Junior Mack realmente é um show a parte neste trabalho, assina quatro composições; Bruce Katz, Dave Stolz e Reggie Pittman assinam uma cada.

Encontramos o melhor estilo southern-rock em Dilemma, que abre o disco; uma abordagem jazzy em Drifting and Turning e até algo meio bossa em Points of Friendship em que destacam-se os sopros de Paul Liberman, Kris Jensen e Reggie Pittman; uma balada soul em Rainy Night in Georgia (Tony Joe White); um funkeado cheio de groove em Leaving Trunk (Sleepy John Estes), o bom e enraizado blues nos temas I Believe I'll Make a Change, aqui com Bruce Katz fazendo a melhor cama possivel junto com a base de metais, rhythm & blues em Hippology e a acústica Simple Song; e lógico que não podia faltar um tributo ao Allman Brothers com Melissa.

Mais sobre Jaimoe's Jasssz Band em  http://www.jaimoe.com