MORRE ETTA JAMES

20 janeiro, 2012
Etta James, a poderosa voz por tras de At Last, morre aos 73 anos
New York Times, 20 de janeiro de 2012
por Peter Keepnews

foto : Etta James no estúdio em Chicago com o fundador da Chess Records Phil Chess, a esquerda, e o produtor Ralph Bass, em 1960.

(tradução livre)
A reportagem original voce lê aqui :
http://www.nytimes.com/2012/01/21/arts/music/etta-james-singer-dies-at-73.html?_r=1&hp

Etta James, cuja poderosa, versátil e emocionalmente voz podia empolgar o mais vulgar blues, assim como as canções mais sutis de amor, a maioria de forma indelével como seu famoso tema At Last, morreu na manhã desta sexta-feira em Riverside, Califórnia. Etta James tinha 73 anos.
Seu produtor, Lupe De Leon, disse que a causa foi decorrida de complicações da leucemia. Etta James morreu no Riverside Comunity Hospital, onde estava submetida a tratamento intensivo. Ela morava em Riverside.

Não era fácil classificar a música de Etta James, frequentemente referida como uma cantora de rhythm & blues, e foi assim que ela fez seu nome na década de 50 com discos como Good Rockin' Daddy.
Seu nome figura no Rock and Roll Hall of Fame e Blues Hall of Fame.
Etta sentia-se confortavel cantando temas mais pop, como fez em 1961 com At Last, canção escrita em 1941 e originalmente gravada pela orquestra de Glenn Miller. E entre os seus quatro prêmios Grammy, incluindo o Lifetime Achievement em 2003, destaca-se o de melhor desempenho vocal na categoria Jazz que ela ganhou em 1995 para o álbum Lady Mistério: Songs of Billie Holiday.
Independentemente de estilo, ela era admirada. Expressando um sentimento comum, Jon Pareles, do The New York Times, escreveu em 1990 que ela tinha "uma das grandes vozes da música popular norte-americana, com uma gama enorme, uma multiplicidade de tons e intensidade."
Por todas as suas realizações, Etta James teve uma carreira de altos e baixo principalmente por causa de problemas com drogas. Tornou-se usuária de heroína na década de 60 e após superar esse vício na década de 70 começou a usar cocaína. Ela descreveu sua luta contra o vício e sua reabilitação em sua autobiografia, Rage to Survive, escrita com David Ritz em 1995.

Etta James nasceu em Jamesetta Hawkins, Los Angeles, em 25 de janeiro de 1938. Sua mãe, Dorothy Hawkins, tinha 14 anos na época e Etta foi abandonada pelo pai, de quem nunca soube ao certo quem era, embora sua mãe a lembrava dizendo-lhe que ele era um jogador de polo chamado Rudolf Wanderone, mais conhecido como Minnesota Fats. Acabou criada por pais adotivos e se mudou para San Francisco com sua mãe quando ela tinha 12 anos.
Etta começou a cantar na Igreja Batista de St. Paul, Los Angeles, aos 5 anos e resolveu tornar-se cantora de verdade ainda adolescente formando um grupo vocal com mais dois amigos. Aos 15 anos gravou seu primeiro disco, Roll With Me Henry, onde compôs a letra para a melodia de Work With Me Annie, de Hank Ballard & Midnighters, um hit da época. Quando alguns DJs se queixaram de que o título tinha sido muito sugestivo, o nome foi mudado para The Wallflower, embora o registro em si não ter sido.
O tema subiu para número dois na parada rhythm & blues em 1954. Era frequente naquela época um tema gravado por artista negro ser logo gravado um cantor branco e assim o foi com o tema de Etta, cujo título da canção foi mudado para Dance With Me tornando-se um hit pop em 1995. Seu sucesso não foi uma notícia totalmente ruim para Etta James, ela compartilhou os royalties da composição com Johnny Otis, quem tinha arranjado sua sessão de gravação.

Em 1960, Etta James assina com a Chess Records, a gravadora de Chicago que foi a casa de Chuck Berry, Muddy Waters e outros gigantes da música negra. Ela rapidamente teve uma série de hits, incluindo All I Could Do Was Cry, Trust in Me e At Last, e Chess a tinha como sua grande e primeira estrela mulher.
Ela permaneceu na Chess Records até a década de 70. Etta reapareceu nas paradas depois de uma longa ausência em 1967 com o funky e alto astral Tell Mama. No final dos anos 70 e início dos anos 80, ela abria os concertos para os Rolling Stones.
Após décadas de turnê, gravações por várias gravadoras e mantendo-se reservada ao público, Etta James volta ao noticiário em 2009 depois que Beyoncé Knowles gravou sua versão para At Last, com imensa proximidade da originalmente gravada por Etta.
Beyonce interpretou Etta James no filme Cadillac Records (2008), um filme sobre a história da Chess Records, além de interpretar a canção na festa de posse do presidente Obama em Washington.
Quando o filme foi lançado, Etta James gostou do seu retrato feito por Beyonce, mas em fevereiro de 2009, referindo-se especificamente a performance de Beyonce em Washington, ela disse : "Eu não suporto Beyoncé", e ameaçou processa-la por ter cantado At Last. Depois disse que estava só brincando, mas o seu desejo é que ela queria mesmo ter sido a convidada para cantar a canção para o novo presidente.

Etta James era casada com Artis Mills e tinha dois filhos, Donto e Sametto James, e quatro netos.
Apesar dos problemas ao longo de toda a sua vida, seu marido e filhos travaram em uma batalha sobre sua vida que foi resolvida em favor do marido, algumas semanas antes de sua morte Etta James disse que queria que sua música transcendesse infelicidade vez de refleti-la.
"Muita gente acha que o blues é deprimente, mas isso não é o blues que estou cantando. Quando estou cantando blues, eu estou cantando vida", disse ela ao jornal Los Angeles Times em 1992.
Pessoas que não toleram ouvir o blues, tornam-se pretensiosas.