ELAS : LAURIE MORVAN

11 janeiro, 2012
Laurie Morvan cresceu cercada de todo tipo de música. Seu padrasto, a quem Laurie considera seu verdadeiro pai, era um fã ardoroso da música country e sua mãe ouvia o lado mais soft do rock e pop. Herança musical absorvida mas sentiu falta do Blues e mesmo morando a menos de 1 hora de Chicago era completamente leiga sobre a forma musical que um dia viria a ser sua própria existência.
Na escola tocou flauta e bateria e sua melhor amiga tinha um violão com o qual ela começou a tocar, compondo sua primeira canção após aprender somente três acordes. Aos 18 anos, partiu para a Universidade de Illinois para graduar-se em engenharia elétrica e atendeu ao chamado do Instituto de Aviação para obter a licença de piloto. Em seu segundo ano na universidade, foi ficando sem dinheiro e, sentindo falta da prática de esportes, entrou para a equipe de volley e ganhou o campeonato escolar, ganhando bolsa e arrumando um meio de pagar os estudos. Sempre levava o violão nas excursões da equipe, tocando e cantando nas esperas de embarque e entre os jogos.
Laurie acabou comprando uma guitarra, uma bela Les Paul Custom branca, que anos mais tarde teve que ser vendida para obter dinheiro para se manter e retornar para casa. Laurie lamenta-se até hoje e tem uma imensa saudade desta guitarra.
Após graduar-se, Laurie arrumou emprego numa empresa área e mudou-se para Los Angeles ao mesmo tempo que entrou para uma banda de rock cover fazendo guitarra base e vocal, mas não demorou muito tempo para assumir a guitarra principal e começou a praticar mais, horas e horas, fascinada pela instrumento. Foi então que ela adquiriu sua primeira Stratocaster, lembra ela – “... era vermelha, brilhante e sexy”.
Rapidamente largou seu emprego de engenheira para nunca mais retornar e juntou-se a banda para cair na estrada já como guitarrista principal e vocalista, rodando pela California e Nevada tocando cinco noites por semana em clubes, cassinos e hotéis. Laurie estava voraz com a guitarra, desenvolvendo seu próprio estilo e navegando em um som voltado ao blues-rock e southern rock.
Daí foi apresentada ao som de Stevie Ray Vaughan, e sua vida mudou! Ao mesmo tempo imergiu na história do blues que ela não conhecia, um novo universo para ela.
Laurie amadureu como guitarrista, se sentia completa com a guitarra e começou a pensar em gravar sua própria música, porém viu que o custo para gravar era alto e iria exigir algum sacrifício para obter recursos para este fim e como também tinha certificação em matemática aplicada começou a lecionar para ganhar mais dinheiro.

Cinco discos gravados - Breathe Deep (2011),  Fire It Up! (2009), Cures What Ails Ya (2007), Find My Way Home (2004) e Out Of The Woods (1997), todos pela Screaming Lizard Records.
Mas o reconhecimento veio com o terceiro disco - Cures What Ails Ya - que foi finalista (top 5) pela Blues Foundation Award na categoria Best Self-Produced. Após este trabalho, Laurie delegou o trabalho de produção a Steve Savage (Elvin Bishop, Robert Cray) na criação de seu próximo disco Fire It Up! onde ela compôs todas as músicas e que lhe deu o prêmio de Best Self-Produced no mesmo Blues Foundation Award na edição de 2010, sendo destaque também na edição de nov-dez da Blues Revue deste mesmo ano quando uma matéria lhe deu o título de “uma poderosa mulher que toca Blues”.

lauriemorvan.com/


Laurie Morvan Band on Myspace