BLUES SESSION ELECTRIC BAND EM FOCO

31 janeiro, 2012
Não há um embrião da naturalidade do Blues no Brasil, do nordeste ao sul não há limitação geográfica para vibrarem os acordes do Mississipi. Talento é o que não falta.

A proposta da Blues Session Electric Band é simples - tocar onde alguém queira ouvir Blues com qualidade, contemporâneo ou tradicional.
O grupo é formado pela harmônica e voz de Daniel Granado, a guitarra incendiária de Paulo "Big Paul" Catharino, o baixo de Vinicius Dora e a bateria de Marcos Batera; e a fórmula não podia ser diferente - é Blues de primeira categoria.
A sonoridade do grupo comprova a tese de que a soma das partes é mais do que o todo, e é com essa musicalidade e energia aplicada nos improvisos que faz do quarteto um diferencial, trazendo no repertório clássicos do blues com boas pitadas jazzy e funky, mas sempre mantendo a linguagem do Blues.
Como o próprio grupo afirma - "O objetivo é criar sempre uma seqüência alegre e dançante para o público, motivando quem ainda não foi fisgado pela veia do Blues e esse é o foco - blues com qualidade, energia e muita alegria".

O grupo foi criado a partir das jams em Mogi das Cruzes, região da grande São Paulo, onde se reuniam músicos e amantes do Blues, isso no ano de 2005. Entre eles estava Daniel Granado e seu arsenal de gaitas junto com a guitarra de Paulo Catharino, o jazz bass de Paulo Balck e as baquetas de Marcos Batera, dando início ao que se tornaria a Blues Sessions Eletric Band, e assim caíram na estrada.
Em 2006 Anísio Mello Júnior assume o baixo elétrico e o grupo abriu o palco da 33º Semana Internacional de Vela, decolando em seguida para o estúdio para gravar um CD demo com cinco músicas do seu repertório e um DVD do registro de um show no Centro Cultural São Paulo.
Uma pausa do grupo e seus integrantes seguiram em projetos pessoais e em 2010 voltaram aos palcos com novo baixista, e atual, Vinicius Dora, com Daniel Granado assumindo os vocais. Fizeram uma participação de sucesso na Expomusic deste mesmo ano e gravaram o DVD intitulado Daniel Granado e Blues Session LIVE!, uma edição limitada com quatro faixas gravadas ao vivo no Ultra-Sônica Studios em SP em outubro de 2010. No repertório, uma original de Big Paul, The Funk, a clássica Hoochie Coochie Man (Willie Dixon), o funky Cissy Strut (Meters) e Chevrolet (Ed Young) que também ficou conhecida nas mãos de Robben Ford e está no seu disco The Authorized Bootleg (1998).

Daniel Granado é endorsse das harmônicas Hohner, o que torna-se um privilégio dividir essa representação ao lados de outros gigantes do instrumento como Mitch Kashmar, Darrell Mansfield, Delbert McClinton, Sugar Blue, Toots Thielemans, Kim Wilson, entre outros. E é endorsse também dos violões da série Roots da própria Hohner.
Desde que eu comecei a tocar gaita, a Hohner sempre foi uma referência de qualidade e tradição, os grandes mestres sempre usam seus instrumentos, certamente pelo timbre sem igual; é o instrumento perfeito para quem procura um grande som e durabilidade”, diz Daniel.

A guitarra de Paulo Catharino, o Big Paul, é uma das marcas do grupo, abraçado a sua amadurecida Fender Strato ou ao som mais encorpado da sua gorduchinha Ibanez, improvisando ou fazendo a base rítmica funkeada, bem ao estilo. Na sua sonoridade, o drive do pedal Shred Master Marshall, modelo bastante cobiçado nos anos 90, hoje descontinuado; e um amp valvulado Laney LC 30 II.  E Big Paul traz a musicalidade de berço - avó, mãe e tia pianistas e cantoras, aí ficou fácil definir o rumo da música como atividade principal. Se diz um influenciado pela guitarra de Hendrix e Jeff Beck sem deixar de lado o forte interesse no Jazz.

Vida longa ao Blues brasileiro.