CHICO PINHEIRO: FLOR DE FOGO

26 dezembro, 2011
Quem já teve a oportunidade de assistir a guitarra de Chico Pinheiro entende porquê hoje ele é um nome de referência no instrumento.
Destreza não só na guitarra, mas também no violão, fraseado elegante, limpo e com pleno domínio da linguagem jazzística. Não à toa, tornou-se endorsse da marca Benedetto, modelo de guitarra referência quando o assunto é archtop, quase como um sonho de consumo dos guitarristas na linha de frente do jazz, e cuja galeria constam os nomes de Pat Martino, Pizzarelli, Howard Alden, Ulf Wakenius, Andreas Oberg, Pat Kelley entre outros gigantes.

Chico Pinheiro não se apega a estilos, mantém na sua música a raiz da música brasileira dando a seus arranjos o colorido do jazz necessário para alimentar os mais exigentes ouvidos.
Depois de uma parceira de sucesso com o guitarrista e maestro Anthony Wilson em "Nova" (2008, Goat Hill Rec), agora nos apresenta Flor de Fogo, seu quarto disco que saiu inicialmente no Japão com o nome "There´s a Stormy Inside" pela gravadora CT Music, e aqui foi lançado pelo selo Atração Fonográfica.
Ótimo para nós que este trabalho tornou-se acessível, e é um exemplar obrigatório para os amantes da boa música, cujo trabalho teve repercussão muito positiva em publicações importantes como Jazztimes e Downbeat. O disco foi produzido e arranjado por Chico Pinheiro, gravado entre agosto e outubro de 2009 no Brasil e com gravações adicionais feitas nos EUA no Visual Rhythm Studios, California.

A formação base do disco é do primeiro time - o contrabaixo de Paulo Paulelli, revezando-se no acústico e elétrico, a bateria do gigante Edu Ribeiro, as participações de Fabio Torres, Paulo Calasans e Otmaro Ruiz nos pianos, Marcelo Mariano baixo, os sopros de Bob Mintzer e Nailor Proveta, o acordeon de Lula Alencar e as vozes Dianne Reeves e Luciana Alves e mais os arranjos de cordas de Gilson Peranzetta e Oscar Castro Neves.

O repertório é quase todo autoral, exceto pelo standard Our Love Here to Stay (Gershwin) e As (Stevie Wonder) em uma versão bem brasileira. Os pontos altos ficam nos temas Recriando a Criação, com a participação da bela voz da cantora Luciana Alves, com um destaque ao solo de guitarra de Chico; Boca de Siri com uma levada bem samba-jazz; e a faixa título Flor de Fogo, em que somos presenteados com belo solo de Bob Mintzer, que também participa das faixas As e Mamulengo. Entre os convidados ilustres, Dianne Reeves mostra a voz em There´s a Storm Inside, As e Buritizais; e Nailor Proveta no clarinete em Valsa número 8.