GARY CLARK JR: INCENDIANDO O CENÁRIO BLUES-ROCK

17 setembro, 2011

Nascido em Austin, Texas, em 1984, Gary Clark Jr. começou a tocar guitarra aos 12 anos.

Influenciado pelo rock´n´roll e o blues, começou em bandas locais ainda adolescente, e chamou a atenção dos produtores locais que logo viram que emergia um novo talento. E foi Clifford Antone, proprietário do Antone's Club, quem colocou o garoto em foco dando-lhe a oportunidade e privilégio de tocar com os gigantes, incluindo seu ídolo local Stevie Ray Vaughan, este que o ajudou a encontrar seu próprio som e o promoveu no cenário texano de blues.

O garoto não se intimidou e fez som pra valer, arrematando vários prêmios. Aos 17 anos ganhou como fã o prefeito da cidade de Austin, Kirk Watson, que declarou o dia 3 de maio como “Gary Clark Jr. Day”, um título honorário, e ainda levou o Austin Music Award na categoria Best Blues nos anos de 2003, 2005, 2006 e 2007, e nesta levou também o prêmio de Best Electric Guitar.

Em 2007 participou do filme Honeydripper ao lado de ator Danny Glover, cuja história se passa em 1950 e tem como cenário um pequeno e falido bar numa área rural do Alabama. No filme, o dono do bar, um pianista aposentado, divulga um famoso guitarrista que fazia sucesso na rádios para tirar o estabelecimento das dívidas, só que o cara não aparece e aí surge Gary Clark Jr. como protagonista para salvar o local.

Gary Clark Jr é mais um, entre grandes novos nomes, que ajudam a manter viva a chama do blues negro, diz ele - “Não há segredo em levar os jovens de volta para o blues, é uma questão de consciência.
Chamou a atenção de Eric Clapton, que o convidou para participar da edição do Crossroads 2010; e foi na edição em video deste festival que eu conheci a fera dividindo o palco com BB King, o próprio Clapton, Buddy Guy, Steve Winwood, John Mayer e Jeff Beck entre muitos outros. E Eric carregou Gary como artista de abertura em suas turnês.

Pequena discografia - os raríssimos "110" e "Worry No More" (ambos de 2008), e dois EP intitulados "Gary Clark Jr. EP" (2010) e "Bright Lights EP" (2011), todos pelo selo Hotwire.
Em foco aqui o album Gary Clark Jr. EP, mais completo que o "Bright Lights", que tem apenas quatro faixas, duas inéditas em solo acústico. Neste EP, são sete faixas onde encontramos uma fórmula interessante além do Blues-Rock predominante. Chama a atenção os elementos do Soul, uma roupagem Motown contemporânea em Please Come Home e Things are Changing, e algo meio hip-hop em The Life, mas tudo com muita originalidade; Outro é um tema cujo timbre da guitarra de Gary soou muito familiar e me fez um voar até o clássico Caravanserai (Santana, 1972), e valeu a viagem; mais as abordagens Rock de Don't Owe You A Thang com uma pitada boogie e Bright Lights, tema título do segundo EP.

garyclarkjr.com/