ELAS : DANIELLE SCHNEBELEN

12 setembro, 2011
O nome da moça é Danielle Schnebelen, leia-se Trampled Under Foot.

Reconhecidamente, um talento. Voz possante, imponente e uma baixista que não deixa espaço vazio. Esse sangue musical é genético, o trio Trampled Under Foot tem ainda na sua formação seus irmãos Nick Schnebelen, guitarrista, e Kris Schnebelen, baterista. Orgulho dos pais, os também músicos Bob Schnebelen e Lisa Swedlund, pai guitarrista e mãe vocalista do grupo "Eva and The Works", além da vovó Evelyn Skinner que era cantora de big bands. Foi sua mãe a maior incentivadora musical, quem a educou com todos os estilos de música desde Everly Brothers a B-52´s.
Aos 12 anos Danielle já interpretava Koko Taylor em um programa de blues na escola em sua cidade Natal, Kansas City, e desde então ela teve a certeza que a música seria sua paixão pelo resto da sua vida. Sempre acompanhava a banda dos pais, e iniciou sua própria banda em 1999 com músicos locais mais experientes. Durante esse período, seus irmãos Nick e Kris pensaram na ideia de formar uma banda em família e não demorou muito para a intenção se concretizar, mas Nick morava na Philadelphia, para onde teriam que se mudar, e o mais importante - Danielle tinha que aprender a tocar baixo. A menina foi persistente e ousada, levou o estudo do baixo a sério e em 2004 foi convidada pelo saxofonista Gharett Schaberg, do grupo The Nortons, para integrar sua banda, com quem gravou o CD chamado "Wild Wild Woman". Disse Gharett ao ouvir Danielle pela primeira vez : "Que impostação vocal tinha aquela menina, e estava trabalhando duro no baixo elétrico. Convidamos ela na hora".

Com os discos "Rough Cuts", "White Trash" e "The Philadelphia Sessions", o Trampled Under Foot surgiu em cena em 2008 no Internation Blues Challenge, em Memphis, e a euforia foi geral. Janiva Magness, presente no evento, afirmou que se o grupo não levasse o prêmio ela mataria todo mundo, com toda razão. Não só levou como deu a Nick o prêmio Albert King Award como o mais promissor guitarrista. O grupo decolou, a banda é presença sempre esperada no cenário blues dos festivais não só da América mas Canada e Europa.

A discografia ainda traz "May I Be Excuse", "Live at Nottoden Blues Festival" e "Wrong Side of the Blues". A Blues Revue fez uma matéria sobre o grupo na edição de abril-maio de 2009, e o grupo foi capa da revista na edição de março-abril deste mesmo ano.